Agroecologia e o uso dos agrotóxicos em Mato Grosso

Data da publicação: 30/07/2014
A semana do meio ambiente trouxe uma profunda reflexão sobre as implicações éticasProfessor Pignati - Agroecologia e agrotóxico MT




e socioambientais trazidas pelo processo de mundialização, chamado comumente de

globalização. Processo que tem gerado uma crise planetária sem precedentes ao impor uma cultura de produção e consumo de bens que exauri assustadoramente os recursos naturais do planeta, provocando aquecimento global, mudanças climáticas, poluição do meio ambiente, destruição acelerada da biodiversidade, expulsão de populações tradicionais de suas terras e de seu modo original de vida. Um paradigma global e agressivo de progresso que afeta as relações humanas e a saúde da população como um todo.

Em Mato Grosso os reflexos desta mundialização podem ser percebidos de maneira destacada nos impactos da cadeia produtiva do agronegócio sobre os biomas naturais do cerrado e da Amazônia e, principalmente, sobre saúde da população. Uma cadeia produtiva baseada num modelo de agricultura chamado de agroquímico. Um Modelo que coloca o Brasil e o estado de Mato Grosso, como grandes produtores de alimento do mundo, mas, também, como os maiores consumidores mundiais de agrotóxico da atualidade.

Para ter uma ideia do volume que vem sendo empregado no País, só na safra agrícola de
2012 foram pulverizados aproximadamente 100 bilhões de litros de agrotóxicos nas lavouras brasileiras. Em Mato Grosso, no mesmo ano, o emprego de agrotóxicos chegou a 140 milhões de litros (produtos formulados) com destaque para herbicidas, inseticidas e fungicidas, os dados são do IBGE, INDEA e do SINDAG – Sindicato Nacional das Empresas de Avião Agrícola.

Um dos maiores estudiosos dos impactos que o uso dos agrotóxicos vem causando ao
meio ambiente e a saúde no estado é o médico e pesquisador da Universidade Federal do
Mato Grosso, Wanderlei Pignati, responsável por uma série de estudos que avaliaram as
consequências do uso dos agrotóxicos em cidades do interior do Mato Grosso. Trabalhando atualmente num projeto que vai avaliar as consequências ambientais e sanitárias do uso de agrotóxicos utilizado por fazendeiros na reserva indígena de Marãiwatsédé, o pesquisador ganhou notoriedade ao divulgar em 2011 os dados de uma pesquisa realizada no município de Lucas do Rio Verde (MT), na pesquisa foi detectado que 100% das amostras de leite materno estavam contaminados com resíduos de agrotóxicos.

Pignati levantou também que nas regiões onde há maior exposição aos agrotóxicos, a
incidência de câncer e de má-formação do feto ou do recém-nascido é três vezes maior
que em outras cidades onde não há uma exposição direta aos produtos. O pesquisador
afirmou ainda que 83% dos poços de água potável e 56% das amostras de chuva estavam
contaminadas por resíduos.

Outros estudos comprovam as pesquisas que Pignati vem realizando, segundo a médica
e pesquisadora do Instituto Nacional do Câncer (Inca), Márcia Sarpa de Campos Mello, é
cientificamente comprovado que uma exposição prolongada aos agrotóxicos pode provocar ataques ao sistema nervoso, ao sistema imunológico, má formações, comprometimento da fertilidade e diversos efeitos cancerígenos, dependendo do tipo de agrotóxico utilizado.

Estudos referentes ao assunto foram publicados em 2012 num dossiê da Abrasco – Sociedade  Brasileira de Saúde Coletiva, com o título “Um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na Saúde”. Segundo Pignati, mesmo com uma série de denúncias sobre a gravidade do problema apresentada nestes estudos, pouca coisa foi feita no tocante ao cumprimento da legislação e de uma fiscalização mais efetiva por parte da ANVISA e de outros órgãos.

Pignati participou no inicio deste mês da Semana do Alimento Orgânico de Mato Grosso,
evento que reuniu na UFMT produtores de vários municípios do Estado. Um dos temas
abordados no evento foi a Transição Agroecológica, movimento que propõe uma alternativa sustentável em substituição à agricultura agroquímica. Entre as ONGS que discutiram a questão se fez presente o Instituto Cidade Amiga, entidade que junto com o Instituto Centro de Vida (ICV) é responsável pelo projeto “Espaço Vitória: geração de renda e gerenciamento de resíduos orgânicos”, projeto patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental voltado para a produção agroecológica de alimentos na periferia de Cuiabá. Em uma entrevista concedida à Assessoria de Comunicação do Instituto Cidade Amiga, Pignati falou da importância da agroecologia como prática capaz de proporcionar boa produtividade e saúde para a população:

Qual a principal discussão trazida pela Semana do Alimento Orgânico de Mato Grosso?


Pignati – A discussão fundamental é que a gente precisa de um alimento mais saudável,
estão usando fertilizantes químicos, agrotóxicos proibidos em outros países, os produtos
industrializados estão impregnados excessivamente de conservantes, acidulantes, nitritos, corantes, estamos adoecendo os alimentos porque um alimento cheio de aditivos químicos é um alimento doente e consequentemente adoece a nossa saúde. A água que estamos consumindo também está bastante contaminada por esses agrotóxicos e fertilizantes químicos, nosso corpo é feito 70% de água, se água esta doente vamos ficar doentes. Por isso precisamos discutir uma alternativa que proporcione uma transição da agricultura hegemônica dos agrotóxicos para a agroecologia. Uma transição que não vai, é claro, proibir os venenos de uma vez, pois isso tem que ser feito pela sociedade, tem que envolver os governantes, entidades governamentais e não governamentais, será preciso pressão e uma consciência social da população exigindo mais controle e fiscalização. Tudo isso com o proposito de melhorar a saúde dos alimentos, evitando os gastos do Estado com tratamento de câncer e de outras doenças provocas pelo uso desses venenos.

Existe um mito em relação à produção agroquímica praticada no Brasil?
Pignati – Há um mito que só o modelo que eu chamo de agroquímico dependente é capaz de produzir em larga escala, o pessoal fala que hoje é impossível produzir sem agrotóxico e sem fertilizante químico. Isso é um mito porque existe o outro lado, o lado que é possível uma boa produção com o modelo baseado em associações e cooperativas de pequenos produtores, um modelo baseado na agricultura familiar localizada em pequenas propriedades de produção de orgânicos. Segundo dados recentes da ONU a produção familiar, que caminha lado a lado com a preservação e o respeito ao meio ambiente, produz mais de 70% dos alimentos consumidos pela população. É possível produzir em média e grande escala, o Brasil é hoje o maior produtor de açúcar orgânico, de álcool orgânico e café orgânico do mundo, quer dizer temos produção
de alimentos orgânicos em grande escala também.

Com tantas terras de qualidade e boas condições climáticas já existe produção de orgânicos
em Mato Grosso?

Pignati – A produção de orgânicos em larga escala é pouca no estado, eu acredito que 99%
da produção de soja, de arroz e milho é químico dependente, em compensação tem outros estados que estão produzindo e exportando uma grande quantidade de orgânicos, só que vai principalmente para a Europa que já tomou essa opção pelos orgânicos. Aqui dentro são poucos que conseguem consumir apenas orgânicos, tem que ter um pouquinho mais de dinheiro porque ele custa mais caro. Na verdade não é que ele custa mais caro, é que outro é mais barato porque tem incentivo de impostos. O fertilizante químico, o agrotóxico não pagam imposto, as máquinas agrícolas não pagam imposto, esses produtos são isentos de ICMS.

Para o pequeno produtor orgânico o incentivo é o mesmo?

Pignati – Claro que não, o agronegócio tem 120 deputados para defender seus interesses, é por isso que tem todo esse incentivo que o pequeno não tem. Muitas vezes eles não possuem sequer a propriedade da terra para pedir o financiamento. Este ano a Presidente Dilma esteve em Lucas do Rio Verde fazendo o lançamento desse último financiamento para safra agrícola que vem aí, lançou 158 bilhões para o agronegócio, 20 bilhões para agricultura familiar e somente 3 bilhões para o orgânico, por isso você tem todo um incentivo enorme, feito com dinheiro público, para continuar uma produção agricultura que eu chamo de químico dependente, uma produção que adoece os alimentos, que adoece a água, que adoece a vida.

Fonte: Da Assessoria de Comunicação do Instituto Cidade Amiga
Autor: Paulo Wagner Moura de Oliveira

Últimas Notícias

  • Reciclagem do lixo preserva o ambiente e promove a inclusão social 21/01/2017
  • Lixo orgânicos ajuda a recuperar solo dos quintais 06/01/2016
  • Construir cidades sustentáveis requer consciência cidadã e planejamento 23/11/2015
  • Cuiabá e Várzea Grande, curso de agricultura orgânica 08/11/2015
  • Espaço Vitória e curso de agricultura orgânica 26/08/2015
  • Vídeo retrata trabalho de inclusão social e gestão de resíduos de cooperativa cuiabana 20/08/2015
  • Educação ambiental desenvolvida pelo Espaço Vitória é referência em Mato Grosso 16/07/2015
  • Governos e ONGs e o fim do desperdício de alimentos 16/07/2015
  • Livro da Abrasco sobre os impactos dos agrotóxicos 15/07/2015
  • Prefeitura de Cuiabá e catadores 14/07/2015
  • Físico Fritjot abre Congresso Internacional em Cuiabá 09/07/2015
  • Prefeitura de Cuiabá pagará catadores de materiais recicláveis pela prestação de serviços 01/07/2015
  • Fórum Estadual quer mais controle do uso de agrotóxicos em Mato Grosso 25/06/2015
  • Mulheres extrativistas do cerrado mato-grossense conquistam destaque nacional 24/06/2015
  • Fotógrafo Laércio Miranda mostrou projetos de preservação da Amazônia em simpósio internacional do Japão 23/06/2015
  • Cooperativa de horticultoras de Cuiabá implantará fundo rotativo solidário 18/06/2015
  • Palestra do pesquisador Wanderlei Pignati aponta soluções para os impactos dos agrotóxicos em MT 14/06/2015
  • Espaço Vitória aprova projeto no edital Fundo Socioambiental CASA 2015 12/06/2015
  • Cooperativas de catadores apresentam proposta de prestação de serviços ambientais 09/06/2015
  • Produção agroecológica de alimentos já é realidade em assentamento de Poconé 02/06/2015
  • Representante do movimento internacional de ecogastronomia Slow food visita o Espaço Vitória 01/06/2015
  • Debate sobre agrotóxicos e saúde encerra Semana dos Alimentos Orgânicos no Espaço Vitória 30/05/2015
  • MPT quer o cumprimento do acordo judicial que prevê apoio aos catadores da capital 15/05/2015
  • Moradoras do Jd. Vitória participam de programas que molharam a saúde e a qualidade de vida 11/05/2015
  • Catadores de materiais recicláveis de MT realizam encontro sobre economia solidária e comercialização em rede 04/05/2015
  • Gerência de Responsabilidade Social da Petrobras visita projeto ambiental desenvolvido em Cuiabá 01/05/2015
  • Consumidores lotam a primeira feira de produtos orgânicos da capital 27/04/2015
  • Lançamento de livro sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde é esperado com expectativa em MT 23/04/2015
  • Espaço Vitória recebe curso de Licenciamento de aterros sanitários neste final de semana 22/04/2015
  • Espaço Vitória Promove Curso: Plano de Gestão de Resíduos da Teoria à Prática 20/03/2015
  • Cooperativa abre entreposto voltado para produção agroecológica 07/03/2015
  • Personagens que trabalham pelo desenvolvimento comunitário ganham destaque no Jd. Vitória 07/03/2015
  • O lixo e o risco de enchentes e alagamentos em Cuiabá 05/03/2015
  • Ministério Público vai averiguar irregularidades no Plano Municipal de Resíduos de Cuiabá 02/03/2015
  • Programa Mesa Brasil SESC busca parceria para dar destinação sustentável aos resíduos orgânicos 02/03/2015
  • Iniciativa busca adaptar comunidades da Bacia do Rio Paraguai às mudanças climáticas 26/02/2015
  • Cooperativa de produção e inclusão social faz balanço positivo de suas atividades 26/02/2015
  • Cidade turística de Mato Grosso contrata cooperativa de catadores para a coleta seletiva 21/02/2015
  • MT-Criativo identifica o Espaço Vitória como centro de formação socioambiental de Cuiabá 21/02/2015
  • Campanha nacional contra o uso de agrotóxicos promoverá seminário em Mato Grosso 14/02/2015
  • Ministério Público requer documentos sobre a Parceria Público Privada para coleta do lixo em Cuiabá 14/02/2015
  • Falta de incentivo impede que os orgânicos conquistem mais consumidores 10/02/2015
  • A imprescindível participação do cidadão na gestão sustentável do lixo 06/02/2015
  • Secretária estadual do meio ambiente recebe visita e reivindicações das cooperativas de materiais recicláveis de Mato Grosso 29/01/2015
  • Ano internacional do solo traz uma reflexão sobre a agricultura praticada em MT 23/01/2015
  • O estrago ambiental das sacolinhas plásticas 21/01/2015
  • Agrônomo aponta aumento na procura por alimentos orgânicos em Cuiabá 15/01/2015
  • Inclusão de catadores melhora a coleta seletiva nas cidades brasileiras 13/01/2015
  • Prefeitura de Cuiabá excluir cooperativas de catadores de materiais recicláveis dos contratos de gestão ambiental do lixo 07/01/2015
  • Consumo e produção de lixo nas festas de fim de ano 27/12/2014
  • Cooperativas de Catadores e engenheiros sanitaristas querem revisão do Plano Municipal de Resíduos Sólidos de Cuiabá 26/11/2014
  • Agricultores de Cuiabá e da Baixada Cuiabana recebem selo de certificação orgânica da Ecocert 24/11/2014
  • Curso traz à Cuiabá um dos maiores especialistas em compostagem de resíduos orgânicos do Brasil 20/11/2014
  • O grande desafio de diminuir o lixo e aumentar a reciclagem 18/11/2014
  • Cresce o número de empresas que investem em responsabilidade social 18/11/2014
  • Governo veta adiamento para o fim dos lixões e implantação dos aterros sanitários 18/11/2014
  • Tecnologia social desenvolvida pelo Espaço Vitória poderá ser replicada em Goiás 22/10/2014
  • Agricultores começam a produzir alimentos orgânicos visando o mercado local 22/10/2014
  • Ponto de cultura disponibiliza no YouTube documentários sobre a arte e cultura cuiabana 21/10/2014
  • Horticultores de Cuiabá aprendem como fazer biofertizantes e defensivos ecológicos 21/10/2014
  • Centro-Oeste conhece vencedores do Prêmio FINEP nesta quarta 10/10/2014
  • Seminário questiona Plano Municipal de Resíduos que a Prefeitura enviará à Câmara de Vereadores de Cuiabá 10/10/2014
  • Auditório do Sebrae sediará nesta quarta-feira o Seminário Gestão de Resíduos Orgânicos para a Cidade de Cuiabá 07/10/2014
  • Oficina ensina estudantes de Cuiabá a arte de construir instrumentos musicais 26/09/2014
  • Jovens da periferia cuiabana aprenderão a fazer instrumentos musicais de bambu e materiais recicláveis 26/09/2014
  • Cresce a luta pela proibição da pulverização área de agrotóxicos no Brasil 26/09/2014
  • Empresas de Cuiabá que não cumprirem Plano de Gerenciamento de Resíduos perderão o alvará de funcionamento 26/09/2014
  • Ministério Público pressiona Prefeitura de Cuiabá à se adaptar a nova Lei de Resíduos Sólidos 20/09/2014
  • Trabalho socioambiental premiado nacionalmente completa 15 anos de existência em Cuiabá 20/09/2014
  • ONG cuiabana conquista patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental 05/08/2014
  • Projeto apoiado pela Petrobras promove oficina de Educação Ambiental em Cuiabá. 05/08/2014
  • Promotores prometem cobrar o fim dos lixões e apoio a catadores e cooperativas de resíduos de Cuiabá 05/08/2014
  • Estudantes fazem visita Ecológica à cooperativa de compostagem no dia do meio ambiente 05/08/2014
  • Estudantes comemorarão semana do meio com aula prática sobre aproveitamento de resíduos. 05/08/2014
  • Espaço Ecossocial abre as portas para estudantes no Dia do Meio Ambiente 05/08/2014
  • Aterro de Cuiabá não receberá resíduos de empresas a partir de 30 de julho 05/08/2014
  • Ano Internacional da Agricultura Familiar da ONU ganha pouca divulgação no Brasil 30/07/2014
  • Agroecologia e o uso dos agrotóxicos em Mato Grosso 30/07/2014
  • Projeto Quintais Produtivos é pioneiro no movimento de hortas urbanas em Cuiabá 30/07/2014
  • Professora aposentada desenvolve trabalho de tecnologia social na periferia de Cuiabá 13/12/2012
  • Representantes da Petrobras e do Banco do Brasil realizam visita técnica 12/12/2012
  • Entrevista Exclusiva Erlon Bispo – Coordenador do Espaço Vitória 12/12/2012
  • Conexão Cheiro Verde conquista terceiro lugar no prêmio FINEP de Tecnologia Social 19/10/2012
  • Mato Grosso recebe exposição comemorativa aos 20 anos do Proler 14/08/2012
  • Perfil: Dejanira Batista de Jesus 02/07/2012
  • Vencendo o medo de aprender 04/04/2012
  • Paceria entre a SEC e o Espaço Vitória gera retornos positivos ao setor cultural 23/03/2012
  • Renda que vem dos resíduos 11/03/2012
  • Criada cooperativa que produz hortaliças a partir de resíduos orgânicos 03/03/2012
  • Pioneirismo do Modelo é valorizado na expansão do projeto Conexão Cheiro Verde 28/02/2012
  • Parceria entre SEC-MT e Espaço Vitória atrai público interessado em atividades artísticas 01/02/2012
  • Conexão Cheiro Verde 08/09/2011
  • Tecnologia Social é modelo de comércio justo 05/08/2011
  • Conexão Cheiro Verde transforma lixo em adubo de Horta Comunitária 10/11/2009
  • Aquarela Digital: Projeto social amplia perspectiva de futuro de jovens do bairro Jardim Vitória 11/08/2009
  • Modelo comercializa hortaliças do projeto “Conexão Cheiro Verde” 25/05/2009
  • Sustentabilidade: Modelo lança “Conexão Cheiro Verde” 31/07/2008
  • Empresas de Cuiabá participarão de oficina para elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Orgânicos 31/12/1969